Fundações de um Império

    Compartilhe
    avatar
    Unlocalized Ace Attorney
    Master of Arms
    Master of Arms

    Mensagens : 468
    Data de inscrição : 06/04/2013
    Idade : 22

    Fundações de um Império

    Mensagem  Unlocalized Ace Attorney em 31/7/2015, 02:19

    nem eu sei o que estou fazendo, çocorr

    ---

    Prólogo - Império destruído

        O vasto campo destruído a seu redor refletiu nos olhos do homem, que o observava de cima, voando a dezenas de metros distantes do chão.

       As construções, feitas de pedras a emitir uma cor prateada e reluzente, jaziam no chão, rachadas e despedaçadas como que levadas a tombar por uma força maior e destruidora. Aquilo que antes reconhecera como uma cidade, cuja o próprio havia idealizado e visto ser erguida aos poucos até tornar-se um grande centro de troca de ideias, artes, riquezas e conhecimento, era agora um mero vestígio de uma civilização que outrora existiu.

       Suas mãos se mexeram, lembrando da destruição que haviam causado tão implacavelmente, o mover de seus dedos causando as rajadas de vento que levaram aquelas construções abaixo, a influência de sua vontade causando o incêndio que consumiu a beleza e a vida que aquele local possuíra.

        Era o único jeito, pensou. A cidade - sua capital - havia sido corrompida por seus cidadãos, levada ao caos e à libertinagem devido aos ideais dos traidores do Império, espalhados aos quatro ventos, como em todas as outras cidades daquele domínio. Eles desejavam tomar o Império para si, subverter as leis que o mantinham ordeiro e próspero e trocá-las por leis que satisfizessem seus desejos e ambições, corroê-lo por dentro como vermes famintos para então fazê-lo despedaçar-se. Não era o que ele queria para aquele lugar, idealizado de forma tão bela.

        A destruição de tudo que se empenhara em produzir era preferível a este destino, e ele, sábio como nenhum outro homem daquele domínio, escolhera a única opção que salvaria sua obra magna daquele fim - mesmo que significasse destruí-la com as próprias mãos. Que fosse o próprio a terminar aquilo que começara, que fosse o próprio a destruir aquilo que construira, que fosse o próprio a impedir que a mácula se alastrasse por sua cria e a tornasse abominável; nada mais justo do que o criador decidir o destino melhor para sua cria. Não havia sequer uma ponta de remorso em suas ações, pois eram justificadas, a despeito do que acreditam os tolos.

        Porém, uma dúvida surgira em sua cabeça. Olhando os resíduos de seu Império por tantas vezes, sua mente o levou a pensar se era possível reergue-lo. Se havia feito isso antes, certamente que era possível fazê-lo novamente. Não lhe faltavam os poderes, a riqueza e o conhecimento para reerguer uma capital tão gloriosa quanto a primeira - isso se não fosse mais gloriosa ainda. O desejo de recomeçar e dar novamente um significado àquele cenário de destruição era fomentado sempre que sua teimosia o levava a lembrar de sua obra e dos tempos gloriosos que experimentou.

        - Não é possível - havia dito um amigo próximo, que participara no desenvolvimento de seu Império e o supria com as riquezas necessárias para a realização de suas obras - Não importa o que façamos, enquanto houver o mal no coração dos homens, o destino será sempre o mesmo. Seus desejos corromperão o Império, e nenhuma riqueza, nenhuma prosperidade, nenhuma regra será capaz de impedir que esse mal se alastre, pois o mal existirá no coração do Império em conjunto com os homens que o formam. Não vale a pena o esforço.

        O criador e ao mesmo tempo destruidor de impérios balançou a cabeça, negando as palavras de seu amigo. Eram sábias, entretanto ele tinha uma ideia capaz de mudar aquele cenário. Havia sim um destino terrível no fim de sua jornada, porém ele havia pesquisado por centenas de anos por meios de contornar todos os problemas e conter o mal, já que este era impossível de ser extinguido do Império enquanto os homens assim fossem. Ele tinha uma chance e se dispunha a tentar novamente.

        Eis então que decidiu começar o seu trabalho, a cidade idealizada como capital já em sua mente, pronto para iniciar seu mais novo projeto e colocar os resultados de seus estudos em prática.

        Longos prédios feitos de pedras preciosas, que reluziam à luz do Sol, foram erguidos do chão, influenciados pelas forças da natureza à favor deste homem. Ruas pavimentadas foram criadas e moldadas do chão, formando caminhos de pedra que serpenteavam pela cidade e além, para campos exteriores que levavam a outras cidades que seriam restauradas em breve. A grandiosa fonte que ficava no centro da cidade, local onde os cidadãos outrora se reuniam para comércio, discussões e eventos, voltara a lançar água por seu chafariz. A vegetação tornou-se novamente verdejante e saudável, as árvores voltaram a crescer instantaneamente e a dar frutos tão maduros que quase estavam no ponto de explodir, e os animais voltaram lentamente ao local desolado, comendo de seus frutos enquanto os pássaros montavam suas novas casas no topo das árvores, formando um cenário encantador.

        Ele escolhera a colina mais próxima para ser o seu palácio, de onde regeria o Império, e construiu os estabelecimentos para os seus conselheiros mais próximos, que o ajudariam a controlar o Império e conter a sua corrupção. O cenário, no fim, estava melhor do que nunca. Seu projeto era promissor, e dessa vez nada nem ninguém o impediria.
    avatar
    Kuroomemi
    Mod
    Mod

    Mensagens : 3503
    Data de inscrição : 25/11/2011
    Idade : 23

    Re: Fundações de um Império

    Mensagem  Kuroomemi em 3/8/2015, 17:20

    WHEN'S RAYDDICK!?


    _________________
    They tell you day after day
    To make your way through the factory gates
    'Til they can't break your will anymore
    You are contractually tied to death's door

      Data/hora atual: 18/11/2018, 11:02