Destinado a mudar

    Compartilhe
    avatar
    Megamix
    Squire
    Squire

    Mensagens : 10
    Data de inscrição : 10/01/2013

    Destinado a mudar

    Mensagem  Megamix em 4/2/2015, 00:21

    Destinado a mudar

    Capítulo 1
    Spoiler:
    “Lembro-me perfeitamente daquela madrugada. Aquela que mudou o rumo da vida de vários seres humanos. Aquela que fez com que meu plano começasse a funcionar. Aquela em que teve grandes erros para alguns, e apenas um acerto. Um acerto triunfal, tanto para mim, quanto para o inimigo, e também para ‘ele’.

    ‘Ele’ era a esperança da humanidade. A esperança do inimigo. A minha esperança.

    É uma longa história, talvez um tanto confusa desde o começo, e eu não vou aparecer nela nem tão cedo. Mas todos os acontecimentos envolvem-me. Tudo já tinha sido planejado desde o começo. Nem sequer tive um contratempo. Meu plano foi totalmente lapidado, para chegar à perfeição.

    A madrugada em que me senti vivo, finalmente tinha chegado. Era hora de por meus planos em prática. Apenas desejava que o tempo estivesse ao meu favor.”

    - O ser da nova ordem

    — Movam-se, rápido! Não podemos perder tempo! Já estamos perto. - Dizia um jovem cheio de determinação.

    O jovem se chamava Lucas Henrique, e tinha 17 anos. Com um cabelo castanho escuro e espetado, media 1,75 metros de altura, olhos verde escuros e um formato agressivo, usando óculos aviadores estilosos, que por sinal eram usados tanto para estilo quanto para combate, pois o ajudavam na identificação do inimigo. Vestia uma jaqueta preta que costumava ficar aberta, além de ser cheia de bolsos, e uma camisa branca. Ainda na jaqueta, ao seu lado esquerdo na altura do peitoral, havia um simbolo caracterizado por duas asas angelicais viradas para esquerda, dentro de um anel dourado. Tal jaqueta era característico de comandantes daquele grupo. Vestia também uma calça jeans preta com um suporte para colocar duas pistolas que ele sempre carregava. E para completar, um par de tênis preto e estiloso. Vivia com um palito de dente na boca, e estranhamente como todos que colocam palitos na boca, ele mastigava sua ponta quando estava com raiva, sendo que o mesmo vivia com tal sentimento. Por ser cabeça quente, era conhecido como o comandante “pavio curto”.

    Sim, ele era comandante mesmo sendo novo. O jovem comandava ao lado de sua irmã gêmea, Lara Henrique. Ela era uma garota simpática de olhos dóceis e azuis. Loira com um atraente cabelo liso que batia até em baixo de seus ombros, a mesma media 1,70 metros de altura. Em sua orelha direita tinha um aparelho inventada por ela, que a mesma parecia usar pouco. Assim como o seu irmão que era comandante, ela também vestia uma jaqueta, porém azul com uma blusa branca por baixo. Uma calça jeans branca e um tênis simples e branco.

    Eles comandavam um grupo de rebeldes nomeados de ESP - Escolhemos Ser Protestantes - que lutavam pelos seus direitos de liberdade e vida tranquila. Essa motivação era por causa da corrupção do governo da época - ano 2195. Se antigamente tinha pessoas reclamando do governo, nessa época o governo podia ser considerado o inferno. Não existiam mais eleições. Apenas um ser podia comandar o mundo inteiro, que por sinal, parecia que o mesmo era imortal. Havia relatos de que, muitas pessoas na época morreram, apenas para que esse homem imortal chegasse ao topo de tudo. Esse novo governo agora era chamado de Arcadie.

    Naquele momento, um esquadrão pequeno da ESP de aproximadamente 10 soldados comandados pelo Lucas, invadia um acampamento feito pelo exército Arcadie. Lucas sabia que aquele não era um acampamento comum para expandir território. Havia algo a mais, e graças ao vasto conhecimento de Lara, ele descobriu que podia ter chances de encontrar o “Herói do Destino”. O ser que acabaria com tal corrupção no governo, salvaria a humanidade e traria paz.

    - Tomem cuidado, o lugar pode conter armadi... – Alertava Lara que na mesma hora foi interrompida por um explosivo que algum dos soldados havia pisado, e leva três soldados a morte – Meu Deus do céu... – dizia ela com o semblante pálido.
    - Lara! Concentre-se! Você implorou para vir nessa missão para ver o Herói do Destino. – disse Lucas com um tom forte, tentado demostrar ser inabalável, mas ainda com peso na consciência - Eu te avisei que era perigoso, e você poderia ver cenas horríveis. Então mantenha o foco!
    - S-Sim. Você tem razão. O objetivo está próximo.

    Assim todos fixaram os olhares para o lugar onde estavam. Uma espécie de laboratório abandonado. Não havia muita iluminação, mas era o suficiente para enxergar. Além de abandonado, o lugar estava bem destruído, e era repleto de guardas e armadilhas. Tudo isso passava na mente de Lucas. Foi ai que ele percebeu que o explosivo fez um barulho muito alto.

    - Todos se escondam atrás dos destroços! – Dizia Lucas desesperado.

    Obedeceram de imediato. E foi na hora certa, pois alguns inimigos apareceram no local. O problema é que eles estavam com um aparelho parecido com os óculos da Lucas, que ajudam na identificação de seres vivos presentes. Lucas percebeu isso, e na mesma hora ficou tenso. Pensou em todas as possibilidades para escapar, mas parecia que tudo ia levar apenas a morte. Havia um soldado que percebeu que Lucas estava nervoso, com o semblante ficando pálido, como se algo ruim estivesse para acontecer. Então ele resolveu agir por si mesmo.

    - Morram seus inúteis! – levantava aquele mesmo soldado com sua arma e seu dedo pressionando o gatilho, atirando em tudo que via na frente.

    O problema é que soldados desse tipo morrem cedo, e foi exatamente isso que aconteceu. Os outros soldados levantaram nessa hora também e começaram a atirar feitos loucos.

    - O que vocês pensam que estão fazendo seus inúteis?! – Exclamava Lucas.
    - Sabemos que não temos chance de sobreviver senhor! – Falava um soldado enquanto atirava. – Estamos ganhando tempo para o senhor e para a senhorita Lara! Vocês tem que chegar até o objetivo!

    Lucas por um momento pensou que isso era burrice da parte dos seus soldados, mas depois viu que era o único jeito de passarem. Ele viu uma pequena abertura entre os destroços, tomou a Lara em suas mãos, e assim, passaram escondidos por ali. “O sacrifício dos meus irmãos de batalha não vai ser esquecido”, pensou Lucas.

    - Eles sabiam que eu sou o mais forte do grupo. Eles sabiam que eu tinha mais chance de vitórias que qualquer um ali, e mesmo assim, deram suas vidas para nos salvar. – Pensava Lucas, em voz alta – Acho bom que esse “HERÓI” seja realmente forte, pois se não for...
    - Não se preocupe, nós vamos conseguir Lucas – Lara falava, tentando animar o Lucas.
    - Se algo acontecer comigo, fuja. Sua vida é mais importante do que qualquer ou--
    - NÃO! – Exclamava Lara, com determinação em seus olhos – Aqueles soldados morreram para que conseguirmos nosso objetivo. Não vou deixar que a morte deles tenham sido em vão!
    -... Idiota. Faça como quiser.

    E assim continuaram, em um silêncio que incomodava até aos mais pacientes e calmos. Depois de um tempo, perceberam que finalmente aquela passagem pequena estava prestes a acabar.

    Ao saírem, perceberam que estavam em um local mais “aberto”, pois o teto não existia mais. Porém ainda sim, o local era cheio de destroços. A paisagem não era nada elegante, não por causa dos destroços, e sim por causa dos corpos mortos no chão. Olhar para o chão, fez com que Lucas percebe-se que havia alguns fios embaixo da terra, que levavam até o centro do local, aonde havia uma capsula. Foi ai que ambos começaram a sentir que estavam em frente ao objetivo principal. Mas a alegria era momentânea.

    - Mais inimigos estão vindo até nós Lucas! – Apontava Lara.
    Correr como se não houvesse o amanhã, era a frase perfeita para descrever o momento, enquanto eles fugiam das balas. No meio do caminho, acertaram Lucas com três balas em sua perna.
    - LUCAS! – Gritou Lara enquanto corria.
    - Você sabe que balas não são “suficiente para nos matar”, não é? Então continue! – Exclamava Lucas, deitado no chão enquanto levava vários tiros.

    Lucas realmente parecia não levar danos graves de balas comuns, nem se fossem em pontos vitais. Então ele se levantou normalmente, mesmo levando vários tiros, sacou suas duas pistolas de balas rápidas e poderosas, e começou a atirar nos inimigos.

    Parecia que nada ia parar ele, até que três robôs chegaram com uma arma de porte grande. Os mesmos robôs dispararam um tiro carregado de laser em Lucas, o que o feriu gravemente.

    - ARRGHHHH!
    - LUC--! – Gritava Lara, que foi interrompida na mesma hora, com tiros em sua perna.

    No chão, ela tenta visualizar seu irmão, e viu-o coberto de sangue. Nesse mesmo momento, ela perdia todas as esperanças.

    “Estou tão perto. A capsula está aqui, na minha frente. Todos contavam comigo. E tudo que eu consegui fazer é ficar aqui, estirada no chão, olhando meu irmão sangrar até a morte. Eu sou uma inútil. Eu... Eu queria poder fazer alguma coisa...” – Pensava Lara. A dor no seu coração era mais forte que a dor exterior. Essa dor no seu interior fez com que ela começasse a chorar.

    Quando a primeira gota de lágrima caiu no chão, os fios que estavam no chão, e ao mesmo tempo estavam conectados a capsula, começaram a brilhar fortemente. A capsula agora começara a brilhar também, e após certo tempo, ela se abriu. Nesse mesmo instante saíra um outro jovem. Um jovem que tinha uma energia muito forte.

    - Vo... V-Você é... O Herói do Destino! – Exclamava Lara, totalmente surpresa.

    Os inimigos não cessavam de jeito nenhum com os tiros. Mas nenhum deles chegava a se quer machucar o ser que acabara de sair da capsula.

    - Por favor! Ajude-me! Ajude meu irmão!

    Aquele mesmo jovem olhava para o outro que estava estirado no chão, e percebeu que a situação dele podia ser grave. No mesmo instante pegou Lara, colocou-a em seu ombro, e fez o mesmo com o Lucas, porém no outro lado, tudo isso em uma agilidade bem grande.

    O inimigo não parava de atirar, mas perceberam que não fazia efeito nenhum no herói. Assim, após recarregarem a arma laser, os três robôs lançaram outro tiro carregado. Quando o impacto estava preste a acontecer, o herói virou e chutou o raio na mesma direção em que ele veio, destruindo a arma deles.

    Assim, aproveitando a distração, o herói sai dali em uma velocidade bem grande. Enquanto fugia, uma chuva forte começava a cair. Algumas poças de água começavam a se formar. Ao passar por uma dessas poças, o herói olhava para seus olhos refletindo na água, e pensava:

    “Onde está a menina dos olhos que preenche esse vazio?”

    Capítulo 2
    Spoiler:
    Após se afastarem do local da batalha, os três jovens encontravam-se em um deserto de rochas que formavam pequenos planaltos, destroços de uma guerra que parecia ter acontecido a poucos anos atrás, sem nenhuma vegetação e água, a não ser as poças d’aguas que a chuva formou. Uma dessas rochas formava uma espécie de proteção, contra a chuva que ainda caia. O herói misterioso que permanecia em silêncio resolveu repousar ali, e ajudar os jovens Lucas e Lara, que estavam feridos.

    - Muito... Muito obrigada... Ahn... – Lara tentava expressar a sua gratidão ao herói sem saber como se referir ao mesmo.
    - Meu nome é Guigas. – Disse o herói.
    - Oh... Muito obrigada senhor Guigas. Desculpe-me perguntar, mas qual é seu nome completo?
    - Não sei.
    - ... Não sabe? – Perguntou Lara, confusa.
    - ... – O herói mostrava não ser bom em palavras, e muito quieto. Porém, podia se ver em seu rosto, a falta de expressões. Não dava para saber se ele estava triste, ou se estava feliz.

    Guigas, o herói do destino. Usava um casaco vermelho, camisa cinza, e um jeans comum. Pele clara, porém, ainda na classe de “moreno”. Cabelo um tanto pequeno, porém, espetado para frente. Tinha consigo um colar que tinha uma espécie de joia vermelha, e atraente, por sinal. Porém, o que chamava mais atenção, eram seus olhos. Não havia pupilas, além de terem um tom azul bem fraco, como se estivesse pronto para perder a cor, e virar cinza.

    - Senhor Guigas... – Lara tentou ser formal com o herói, mesmo ele aparentando ser jovem – O senhor consegue enxergar bem?
    - Sim.
    - Ah, sim... É por que os olhos do senhor... Parecem tão vazios...
    - Também notou?
    - Então... O senhor também não sabia que eram assim?
    - Notei enquanto observava uma poça d’agua.
    - Mas... Como nunca notou isso antes?
    - Eu não tenho memórias do passado.
    - Oh... Sim...
    - Poderia me dizer o que você sabe?
    - Certo... – Lara preparava-se para contar a história – Em uma das pesquisas, realizadas por nós, membros da ESP, organização que escolheu rebelar-se ao governo corrupto atual, descobrimos um artefato tecnológico do século 21. Esse artefato aparentava ser uma esfera com uma quantidade forte de bateria... Algo que poderia durar séculos, para se desgastar. Não sabemos como algo desse tipo foi criado ainda no século 21, mas enfim... – Ela pegou uma espécie aparelho, que exibia um holograma, mostrando a imagem do artefato, e suas definições em forma de texto – Nessa esfera, havia um botão, que ao ser pressionado, aparecia uma mensagem em forma de holograma. Nesse holograma dizia:

    “Dia X, Mês X, Ano 20XX

    O mundo se rebelou contra a sua própria existência, várias vezes, desde o surgimento do planeta Terra. Pensamentos e táticas egoístas são formas de rebeldia contra a própria vida. Desde o pecado de Adão e Eva... Passando pelos anjos que desceram do Reino Sagrado, com intuitos de tomar para si mulheres belas... Homens que iniciaram as guerras, para conquista de território... Aqueles que assassinaram Cristo, filho de Deus... Aqueles que deturparam a palavra de Deus, para fins lucrativos... Aqueles que oram para Deus, para que o exército de sua nação mate os seus irmãos, de outra nação. O quão podre o mundo se tornou? Até mesmo eu, fui afetado...

    Porém, na tentativa de criar a última esperança para a humanidade... Coloquei em uma cápsula, a pessoa que é a única salvação para o mundo: O ‘Herói do Destino’. O ser que tem o potencial de agir, saber e ser tudo e todos. Ele ficará nessa cápsula, adormecido, acumulando energia, para que possa futuramente, servir como uma verdadeira salvação. Enquanto ainda tenho minha sanidade, peço para que procurem por essa cápsula, e livrem o mundo do mal...

    Que o destino, esteja do vosso lado.

    - Autor desconhecido”

    - E é isso que tudo que temos de informação sobre você... – Disse Lara, em um tom um tanto triste.
    - Herói do Destino... – Guigas aparentava estar pensativo, porém, ainda sem demostrar emoções.
    - É bom você realmente ser o que esse texto idiota disse. – Disse Lucas, que acabou de acordar.
    - Lucas? E seus ferimentos? Já curaram?
    - A minha auto-regeneração fica melhor a cada dia. E também, eu já passei por coisas piores. E você Lara? Como se sente?
    - Também já estou bem o suficiente.
    - Auto-regeneração? – Perguntou Guigas.
    - Sim, nós temos hab-- – Dizia Lara, quando foi interrompida por Lucas.
    - Não era você que sabia sobre tudo, de acordo com aquele texto deprimente? – Perguntou Lucas, com o intuito de por a prova o herói.
    - Lucas, pare com isso! – Disse Lara, com uma voz firme.
    - Se você é o “poderoso Herói do Destino”, devia ser mais inteligente... E mais forte também, não? O jeito que você correu como uma menininha da batalha... Não me parecia atitudes de um herói! – Gritou Lucas, com o olhar repleto de raiva.
    - Do que falas, Lucas!? – Lara começou a argumentar – Você mesmo estava ferido e caído no chão, pronto para morrer!
    - Eu não lutei, pois você estava muito ferido. – Afirmou Guigas, ainda de uma forma bem calma.
    - Eu não precisava da ajuda de um molenga!
    - Não era o que me parecia.

    Lucas acabou se descontrolando e dando um soco na face de Guigas. Porém, o herói não reagiu ao soco.

    - Lucas! Como pode fazer isso a pessoa que salvou sua vida!?
    - Salvar minha vida!? Tudo o que ele fez foi adiar a nossa morte!
    - Não se preocupem. Eu vou protegê-los. – Novamente, Guigas falava tranquilamente, como se nada tivesse acontecido. Não demostrava raiva por ter levado um soco na face.
    - O quê? Acha mesmo que acreditarei nas palavras de uma lenda do século 21!? – Falava Lucas, de uma maneira furiosa, como se estivesse se preparando para atacar Guigas, novamente.
    - Senhor Guigas... Seus olhos... – Disse Lara.
    - O que tem os olhos dessa farsa?
    - Agora eu entendi... Porque eles são tão vazios assim.

    Quando Lara ia explicar sobre o que ela compreendeu, um robô de caça apareceu de repente. Era chamado de Neorat. Porte pequeno, parecendo um rato, com uma IA (inteligência artificial) bem avançada, feita especialmente para procurar por fugitivos. Quando o pequeno robô ia começar a alertar, Lucas deu um tiro certeiro no mesmo.

    - Isso vai impedir que nos achem? – Perguntou Lara, com medo.
    - Duvido muito. No momento que ele nos viu, deve ter enviado dados da nossa localização para a central deles. Só atirei para não ouvir o barulho irritante.
    - Então, vamos nos retirar. Eles não vão demorar em nos encontrar aqui. – Disse Lara.
    - Já estão aqui. – Afirmou Guigas.
    - Como você sabe, idiota?
    - Posso senti-los nos esperando para um ataque surpresa.
    - Senhor Guigas... – Dizia Lara, curiosa – O que devemos fazer então?

    Sim, do lado de fora, havia um esquadrão de robôs de caça e eliminação nomeados Triggers, equipados com as mesmas armas que atiravam laser. Os Triggers tinham uma coloração azul em grande parte das peças que constituíam seu corpo metálico. Cada peça parecia robusta o suficiente para aguentar ataques de grande dano. Seus visores eram pretos, e quando estavam em modos de ataque, emitiam uma luz vermelha, como se demostrasse uma sede de sangue. Eles apontavam sem se distraírem para o local onde os fugitivos estavam escondidos. Porém, os três jovens não apareceram na única saída que o abrigo coberto pelas rochas continha. Na tentativa de fazê-los saírem do abrigo, enviaram novamente um Neorat para atraí-los para fora. O problema é que quando o robô entrou no abrigo, ele saiu uns segundos depois, voltando para o Trigger que o designou agir como isca. Os robôs todos ficaram confusos, vendo aquele Neorat voltando, porém, repararam que ele estava dando curto circuito. De repente, o mini robô explodiu, mas não em uma explosão comum, e sim com uma grande explosão de fumaça!

    - O QUE ESTÁ ACONTECENDO? – Disse um dos inimigos da tropa, enquanto a cortina de fumaça se formava.

    Dentro da fumaça, sai uma pessoa, em alta velocidade socando e chutando os robôs, como se aquela armadura deles fossem uma madeira frágil e ruída. Era Guigas em uma rajada de ataques. Os Triggers tentavam reagir, porém, Guigas estava numa velocidade alta demais para eles poderem atirar certeiramente. Então, tentaram lutar corpo a corpo. Nisso, a cortina de fumaça começava a desaparecer, e no meio dela, aparecia Lucas, com suas duas armas em mãos, atirando freneticamente nos inimigos, enquanto Lara usava uma espécie de escudo para proteger Lucas.

    Após uma grande quantidade de robôs serem derrotados, aparece o robô líder da operação em uma rocha um tanto elevada. Ele tinha uma capa vermelha cobrindo seu corpo, que representava a sua autoridade. O mesmo também tinha uma aparência parecida com a dos outros robôs, com a grande diferença que ele tinha uma IA mais avançada.

    - Então, você é o Herói do Destino... E vocês dois, são meros rebeldes. – Disse o robô líder.
    - Quem é você? – Disse Guigas.
    - Meu nome é Robot-VIII, um dos membros dos Master Robots XIII, mas tenho codename de Blast Hawk.
    - Que nick ridículo. Assim como o usuário dele. – Insultou Lucas.
    - ESP... Que nome ridículo. Assim como os membros que o constituem. – Revidou Hawk.
    - Tcs... Tenho certeza que você é apenas do tipo que fala, e não faz nada.
    - Eu diria que sou do tipo que pensa e depois age. Diferente de você, que até mesmo sacrificou seus parceiros, apenas para conseguir acordar uma lenda que você mesmo não deposita confiança.

    Furioso, Lucas atira em Hawk, porém, o mesmo defende com uma barreira.

    - Vamos, venha até aqui e mostre do que você é capaz, sua sucata idiota!
    - Woa, acalme-se criança...
    - Criança!?
    - Eu não vim com essa tropa de caça para derrota-los. Vim com o intuito de conhecer meu inimigo. E meu interesse... Não é em você, pirralho. É na “lenda”. Memorizou?
    - O que você quer comigo? – Diz Guigas.
    - Apenas quero saber o quão poderoso você é. Não tenho intenção nenhuma de lutar com você agora. Enquanto você lutava, e até mesmo enquanto conversamos, há robôs espalhados por toda a área, analisando cada movimento, cada reação e fala sua. – Respondeu Hawk, mostrando ser bem cauteloso.
    - Bah! O que tem de tão especial nesse lixo ultrapassado!? – Indagou Lucas.
    - É por isso que você é um imbecil. Se não deixasse sua raiva dominar você, com certeza seria um excelente rival meu.
    - Eu não sou rival de robôs lixosos como você. Eu sou seus assassinos, isso sim.
    - Como foi que você acabou de dizer...? Se me recordo bem, foi “tenho certeza que você é apenas do tipo que fala, e não faz nada”. Acho que você não é de gravar as próprias falas... E agora? Memorizou?

    Lucas foi para cima de Hawk, totalmente descontrolado, e gritando bem alto. O problema, é que o robô ainda estava com o escudo ativo, que acabou repelindo o rapaz para o mesmo lugar.

    - Não se preocupe pirralho-líder. Um dia, nos encontraremos em batalha. Só tente manter-se vivo, até lá. – Disse Hawk enquanto se retirava do local.
    - Você está bem, Lucas!? – Disse Lara, preocupada.
    - Por que...? – Disse Lucas.
    - O que foi?
    - POR QUE ESSE IDIOTA FICOU PARADO ESPERANDO ELE IR EMBORA!? – Falou Lucas, enquanto apontava para Guigas.
    - Lucas! Isso não é hora para brigar!
    - Eu perdi dez! Dez dos meus soldados mais fiéis! Tudo isso para encontrar essa porcaria de “herói”, e tudo o que ele faz é NADA! NAAADA! Eu não vou aceitar tanta inutilidade perto de mim!
    - O escudo dele... Não era um escudo normal. – Disse Guigas enquanto estava de costas para Lucas.
    - DO QUE VOCÊ ESTÁ FALANDO!?
    - Caso eu destruísse-o, ele seria teletransportado imediatamente para a sua base.
    - E como você sabe disso!?

    Para responder a pergunta, Guigas virou o rosto, e podia se notar uma diferença enorme em seus olhos. Suas íris estavam com linhas de luz, que formavam um desenho de uma mira.

    - É assim que eu sei disso.

    Fast FAQ:

    Q: Megamito, quando irá postar novos capítulos?
    A: Quando eu ter paciência. Não enche meu saco, kct.

    Q: Megamito, quantas referências de jogos vão ter?
    A: 77. Pode contar. Confia lek.

    Q: Acho que chutes no laser não são moda. E agora?
    A: https://www.youtube.com/watch?v=oOmZLTkJO04
    avatar
    Unlocalized Ace Attorney
    Master of Arms
    Master of Arms

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 06/04/2013
    Idade : 22

    Re: Destinado a mudar

    Mensagem  Unlocalized Ace Attorney em 4/2/2015, 11:34

    Destinado aos MUDAMUDAMUDAMUDAMUDAMUDAMUDAMUDA
    avatar
    Kuroomemi
    Mod
    Mod

    Mensagens : 3496
    Data de inscrição : 25/11/2011
    Idade : 23

    Re: Destinado a mudar

    Mensagem  Kuroomemi em 8/2/2015, 21:54

    Não continuares isto...



    _________________
    the bottom's full of wolves ! they're thirsty for blood
    the mission is to catch ! someone slippin' above

    Conteúdo patrocinado

    Re: Destinado a mudar

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 21/9/2018, 01:16